Pisa na fulô, pisa na fulô, pisa na fulô
Não maltrate o meu amor

Pisa na fulô, pisa na fulô, pisa na fulô
Não maltrate o meu amor

Um dia desse
Eu fui dançar lá em Pedreira
Na rua da golada
Gostei da brincadeira
Zé Caxangá era o tocador

Mas só tocava pisa na fulô

Pisa na fulô, pisa na fulô, pisa na fulô
Não maltrate o meu amor

Pisa na fulô, pisa na fulô, pisa na fulô
Não maltrate o meu amor

Eu vi menina
Que nem tinha doze anos
Agarrar seu par
Também sair dançando
Satisfeita e dizendo
“Meu amor, ai como é gostoso o pisa no fulô”

Pisa na fulô, pisa na fulô, pisa na fulô
Não maltrate o meu amor

Pisa na fulô, pisa, pisa na fulô, pisa na fulô
Não maltrate o meu amor

Pisa na fulô, pisa na fulô, pisa na fulô
Não maltrate o meu amor

Pisa na fulô, pisa, pisa na fulô, pisa na fulô
Não maltrate o meu amor

Tenho pena de quem chora
De quem chora tenho dó
Quando o choro de quem chora
Não é choro, é chororô

Tenho pena de quem chora
De quem chora tenho dó
Quando o choro de quem chora
Não é choro, é chororô

Quando uma pessoa chora seu choro
Baixinho
De lágrima a correr pelo cantinho de olhar
Não se pode duvidar da razão daquela dor
Isso pode atrapalhar
Sentindo seja o que for
Mas quando a pessoa chora o choro em desatino
Batendo pino como quem vai se arrebentar
Aí penso que é melhor ajudar aquela dor
A encontrar o seu lugar no meio do chororô

Chororô, chororô, chororô
É muita água, é mágoa
É jeito bobo de chorar

Chororô, chororô, chororô
É mágoa, é muita água, a gente pode se afogar

Chororô, chororô, chororô
É muita água, é mágoa
É jeito bobo de chorar

Chororô, chororô, chororô
É mágoa, é muita água, a gente pode se afogar

Lá no meu pé de serra
Deixei ficar meu coração
Ai que saudades tenho
Eu vou voltar pro meu sertão

No meu roçado
Eu trabalhava todo dia
Mas no meu rancho
Eu tinha tudo o que queria
Lá se dançava quase toda quinta-feira
Sanfona não faltava
E tome xote a noite inteira

O xote é bom
De se dançar
A gente gruda
Na cabloca sem soltar
Um passo lá
Um outro cá
Enquanto o fole tá tocando
'Tá gemendo, 'tá chorando
'Tá fungando, reclamando sem parar

Lá no meu pé de serra
Deixei ficar meu coração
Ai que saudades tenho
Eu vou voltar pro meu sertão

No meu roçado
Eu trabalhava todo dia
Mas no meu rancho
Eu tinha tudo o que queria
Lá se dançava quase toda quinta-feira
Sanfona não faltava
E tome xote a noite inteira

O xote é bom
De se dançar
A gente gruda
Na cabloca sem soltar
Um passo lá
Um outro cá
Enquanto o fole tá tocando
'Tá gemendo, 'tá chorando
'Tá fungando, reclamando sem parar
Correct  |  Mail  |  Print  |  Vote

Pisa Na Fulô/Chororô/Pé De Serra Lyrics

Elba Ramalho – Pisa Na Fulô/Chororô/Pé De Serra Lyrics

Songwriters: LEOPOLDO INACIO DA SILVEIRA JUNIOR, ERNESTO RODRIGUES PIRES, JOAO VALE
Pisa Na Fulô/Chororô/Pé De Serra lyrics © Warner/Chappell Music, Inc.

LyricFind
Lyrics term of use