Proibissem a saudade de cantar,
Havia de ser bonito'
Entre os versos da canзгo mais popular,
Ai, й o dito por nгo dito.

E as guitarras, sob a escuta na batuta de outras modas,
Escondem no trinar das cordas o pesar.
E o poeta vigiado, forзado ao assobio,
Carpe as mбgoas do destino sem mostrar.

E ao calor de uma fogueira, um amigo
Com a voz mais aquecida lб entoa:
Que a saudade mais que um crime й um castigo,
E prisгo por prisгo, temos Lisboa.

Na-rei-ah
Na-rei.ah
Na-rei-ah
Na-reii-ah

Proibissem a saudade, era cantar
Havia de ser bonito'
Entre os versos da canзгo mais popular
Ai, й o dito por nгo dito.

E as guitarras, sob a escuta na batuta de outras modas,
Escondem no trinar das cordas o pesar.
E o poeta vigiado, forзado ao assobio,
Carpe as mбgoas do destino sem mostrar.

E ao calor de uma fogueira, um amigo
Com a voz mais aquecida lб entoa
Que a saudade mais que um crime й um castigo
E prisгo por prisгo, temos Lisboa.

Na-rei-ah
Na-rei.ah
Na-rei-ah
Na-reii-ah

Na-rei-ah
Na-rei.ah
Na-rei-ah
Na-reii-ah
Correct  |  Mail  |  Print  |  Vote

Fado Castigo Lyrics

Deolinda – Fado Castigo Lyrics